Chá para diabete funciona?

Tenho certeza que quase todos os endocrinologistas (ou até mesmo clínicos) já se depararam com um paciente que diz estar realizando o tratamento de seu diabete com este “maravilhoso e poderoso” chá (ou mesmo com cápsulas desta planta). Eu mesmo me deparei com um destes pacientes esta semana. E ele foi totalmente enfático: “Doutor, depois que comecei a fazer uso deste chá, meus níveis de glicose baixaram muito.”

Embora uma pesquisa na Internet mostre inúmeros sites que comentam as propriedades antidiabéticas dos benefícios dos chás, a literatura científica não é tão rica assim. Talvez o fato que tenha chamado mais minha atenção é que não existe NENHUM (isso mesmo, NENHUM) estudo clínico avaliando os efeitos dos Chás. Os pouquíssimos estudos que temos (na verdade, são apenas 03) investigam apenas seus efeitos em ratos. Esta total ausência de estudos me deixou bem surpreso e, simultaneamente, preocupado, principalmente no que se refere a segurança desta planta. Embora ela possa realmente ter algumas propriedades que ajudem a baixar os níveis de glicose (novamente, demonstradas apenas em ratos), não temos a menor ideia de quais efeitos colaterais podem estar associados ao seu uso. Da mesma forma, não temos ideia de qual a dose mínima e máxima, qual sua possível interação com outros medicamentos para o diabete e quais outros efeitos ela teria no corpo humano.

Um dos estudos mais interessantes que encontrei foi realizado na Universidade Estadual do Norte Fluminense, em Campos dos Goytacazes (Rio de Janeiro). Neste estudo, os autores conseguiram identificar nas folhas da Pata-de-Vaca uma proteína estruturalmente parecida com a insulina bovina. Esta similaridade estrutural PODE fazer com que esta molécula, presente no chá, funcione parcialmente como a própria insulina produzida pelo corpo humano.
Isso não indica que ela deve ser utilizada como medicamento para tratamento do diabete, seja isoladamente combinada com outros medicamentos disponíveis no mercado. Esperamos que mais pesquisas sejam feitas, principalmente em humanos, para podermos conhecer todos os detalhes desta planta e definir seu real papel no tratamento do diabete e até mesmo de outras doenças.

Nunca deixem de tomar seu remédios ou insulinas para substituir pelo chá. Se quiser usar com os medicamentos tudo bem.

 

Fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes

Dr. Rodrigo O. Moreira
Doutorado em Endocrinologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
Médico Colaborador do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia (IEDE) do Rio de Janeiro