Hipoglicemia: qual a melhor forma de corrigir?

A hipoglicemia é caracterizada por glicemias abaixo de 70mg/dl, geralmente acompanhada de alguns dos seguintes sintomas: tremor, suor, calafrios, confusão mental, tontura, taquicardia, fome, náusea, sonolência, visão embaçada, dor de cabeça, sensação de formigamento e em casos mais graves convulsões e inconsciência. A percepção dos sintomas é importante para detectar a hipoglicemia, mas a monitoração da glicemia é a única maneira de confirmá-la. Entretanto, na impossibilidade de medir a glicemia e na presença dos sintomas de hipoglicemia, faça o tratamento mesmo assim.

Atualmente, a hipoglicemia é classificada em três níveis:

1-Nível 1: valores entre 69 – 54 mg/dL
2-Nível 2: valores < 54 mg/dl1
3- Nível 3: hipoglicemia severa (independente do valor, gera comprometimento cognitivo grave que requer assistência (uso de glucagon / apoio hospitalar).

Corrigir a hipoglicemia:
Quando é possível administrar algum alimento via oral, a forma correta de corrigir a hipoglicemia é com 15 gramas de carboidrato simples, o que é equivalente a uma colher de sopa de açúcar (que pode ser diluída em água), uma colher de sopa ou 3 sachês de mel (não é permitido para crianças menores de um ano), 150ml de refrigerante comum (não dietético) ou suco de laranja integral ou de 3-4 balas mastigáveis.

Após ingerir alguma das fontes de 15g de carboidratos de rápida absorção, aguarde 15 minutos para verificar novamente a glicemia. Se continuar baixa, repita o tratamento. Para prevenir outra crise de hipoglicemia, após normalização da glicemia (e se a próxima refeição não for acontecer no período de uma hora), faça um lanche / refeição.

      A composição da refeição que visa prevenção da hipoglicemia deve incluir fibras (como alimentos integrais, feijão ou leguminosas e verduras), proteína (carnes, ovos, queijo ou leite) e gorduras (como azeite e castanhas). Isto é válido para os lanches antes de dormir (ceia) para pacientes que fazem hipoglicemia noturna, para lanches antes de praticar exercício físico ou em qualquer horário em que o paciente tenho risco de ter hipoglicemia. Ao invés de consumir somente uma fruta, por exemplo, inclua também leite ou iogurte, farelo de aveia e castanhas. Ou ao invés de consumir somente o pão, inclua também queijo branco, alface e tomate.

      É importante destacar, entretanto, que para o tratamento da hipoglicemia os carboidratos simples devem ser consumidos isoladamente, sem associar fibras, proteína ou gordura, que podem retardar o esvaziamento gástrico e consequentemente a correção da glicemia (não é indicado consumo de leite, chocolates ou biscoitos recheados). É importante que o paciente disponha sempre dos alimentos para correção da hipoglicemia, carregando sachê de açúcar, mel ou balas, por exemplo.

      Fonte:

      Dra Leticia Fuganti Campos
Nutricionista e membro de Departamento de Nutrição da SBD.
Doutora em Clínica Cirúrgica (UFPR)
Mestre pela Faculdade de Medicina da USP
Pós-graduada em Nutrição Clínica (GANEP) e em Educação em Diabetes (UNIP), com treinamento pelo Joslin Diabetes Center – Harvard.
Presidente do Comitê de Nutrição da BRASPE
      Dra Leticia Fuganti Campos
      Nutricionista e membro de Departamento de Nutrição da SBD.
      Doutora em Clínica Cirúrgica (UFPR)
      Mestre pela Faculdade de Medicina da USP
      Pós-graduada em Nutrição Clínica (GANEP) e em Educação em Diabetes (UNIP), com treinamento pelo Joslin Diabetes Center – Harvard.
      Presidente do Comitê de Nutrição da BRASPE