Adoçantes. Qual a melhor escolha?

Os adoçantes são compostos a partir de substâncias naturais ou sintéticas, conhecidas como edulcorantes. São fórmulas químicas no qual a preocupação maior é com o sabor e não com os nutrientes.

Os adoçantes, como eritritol, isomaltitol, lactitol, maltitol, manitol, sorbitol e xilitol, contêm menos calorias do que o açúcar, porém o poder edulcorante varia entre 45% e 100% em relação ao do açúcar. Por outro lado, os adoçantes como aspartame, acessulfame de potássio (acessulfame-K), ciclamato de sódio, neotame, sacarina sódica, sucralose, stevia e taumatina contêm muito poucas calorias ou são isentos de calorias e possuem um poder edulcorante muito maior do que o do açúcar.

Essa categoria significa que a substância não apresenta risco à saúde por apresentar baixa toxicidade conforme os dados disponíveis e pode ser utilizada em proporção suficiente para obter o resultado tecnológico desejado. Mas cuidado, ingerir mais que 30 ou 40 g por dia pode dar diarreia, estufamento e dores abdominais. Por isso insistimos: moderação!

O uso de adoçantes pode ser uma ferramenta no tratamento nutricional do Diabetes, porém seu uso não é essencial. Consuma com moderação e faça rodízio entre os tipos.

Portanto, treinar o paladar para acostumar-se com produtos cada vez menos doce é essencial para a sua saúde. Vá acostumando o seu paladar gradualmente, quando perceber tudo parecerá doce demais!

Fonte:

Martha Amodio
Nutricionista há 26 anos, consultório focado em diabetes, patologias crônicas, autoimunes e doenças intestinais. Criadora de cursos profissionais em diabetes e microbiota.Membro do Departamento de educação da SBD.