• Cetoacidose diabética: o que é isso?

    Cetoacidose diabética: o que é isso?

     

              Qual a diferença entre Cetona e Glicemia?

         Como o diabético pode evitar a cetoacidose?Qual a complicação da cetona para o diabético?

     

     

    O que é cetoacidose diabética?

    Cetoacidose é o acúmulo de corpos cetônicos (ácidos fracos) no sangue, deixando-o com o pH mais baixo que o normal. Como quase todas as reações químicas que acontecem nas células dependem de um pH estável ou que só permita uma variação muito ligeira, essa acidez é muito desfavorável para o funcionamento celular.

    Quais são as causas da cetoacidose diabética?

    A falta de insulina causada pelo diabetes faz com que o organismo não consiga usar a glicose como fonte de energia e as células então lançam mão da gordura em seu lugar. Os subprodutos da decomposição da gordura, chamados cetonas, se acumulam no corpo, gerando a cetoacidose diabética. Em quantidades altas, as cetonas prejudicam o organismo.

    A cetoacidose diabética pode ocorrer em condições especiais em que a necessidade de insulina aumente (infecções, traumas, acidentes vasculares, uso de certos medicamentos, etc.), na falta de tratamento do diabetes mellitus ou se a dose de insulina for menor que a necessária para controlar a glicemia de maneira satisfatória. Esta condição ocorre especialmente no diabetes tipo 1, porém pode ocorrer também no diabetes tipo 2.

    Quais são os principais sinais e sintomas da cetoacidose diabética?

    A cetoacidose diabética muitas vezes é o primeiro sinal de diabetes em pessoas que ainda não têm outros sintomas, mas também pode ocorrer mais tardiamente em pessoas que já tenham sido diagnosticadas com diabetes.

    Os sinais e sintomas principais são:

    • Sede intensa e boca seca.
    • Maior frequência das micções.
    • Hiperglicemia.
    • Níveis altos de corpos cetônicos na urina.
    • Pele seca.
    • Fadiga intensa.
    • Respiração rápida.
    • Náuseas, vômitos, dor abdominal.
    • Hálito com odor de acetona. Este é bastante característico e também chamado de hálito cetônico.
    • Confusão mental.

    Como o médico diagnostica a cetoacidose diabética?

    O diagnóstico da cetoacidose diabética depende de uma avaliação clínica dos sinais e sintomas da doença e de exames laboratoriais de sangue e de urina. A taxa de glicose sobe no sangue porque o fígado fabrica glicose para tentar combater a condição mórbida. Embora a cetona possa ser medida também no sangue, a sua mensuração é feita na urina, de uma forma mais fácil e mais barata. Outros exames mais podem incluir exame de sangue para amilase, gases no sangue arterial e dosagem do potássio sanguíneo. A cetoacidose pode afetar os níveis sanguíneos de magnésio, fósforo, sódio e o pH da urina.

    Como o médico trata a cetoacidose diabética?

    O tratamento da cetoacidose diabética deve ser realizado em hospital, com a administração de insulina, hidratação venosa, correção dos eletrólitos no sangue (sódio, potássio e fosfato) e acompanhamento dos níveis de consciência.

    Como prevenir a cetoacidose diabética?

    O diabético deve tomar corretamente as doses dos medicamentos prescritas e controlar os níveis de glicemia no sangue e a cetonúria. Por precaução, deve sempre ter à mão um frasco de insulina de ação rápida para aplicação emergencial, em caso de uma eventual descompensação do diabetes.

    Quais são as complicações possíveis da cetoacidose diabética?

    A cetoacidose diabética é uma complicação aguda grave do diabetes, potencialmente mortal e deve ser vista como uma emergência médica.

     

    Fonte: ABCMED

    Deixe seu Comentário →

Área de Comentários Logo Abaixo

Cancel reply